Francisco: “Não se combate a corrupção com o silêncio”

O Papa adverte sobre as consequências da corrupção e pede para denunciar seus males. Ele faz isso na edição de fevereiro de O Vídeo do Papa, que é realizado pela Rede Mundial de Oração do Papa.

(Vaticano, 1º de fevereiro de 2018).- O Santo Padre, na nova edição de O Vídeo do Papa, pede para se enfrentar e combater a corrupção. Este mês, o “O Vídeo do Papa” é realizado em conjunto com o Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral. É a primeira vez que um dicastério participa da criação de “O Vídeo do Papa”, dada a importância deste tema.

De uma forma criativa, o vídeo denuncia os males da corrupção e do crime organizado, contrapondo-os com a relação que existe entre a justiça e a beleza.

“Peçamos juntos para que aqueles que têm um poder material, político ou espiritual não se deixem dominar pela corrupção”, diz Francisco. “Devemos falar dela, denunciar seus males, compreendê-la para poder mostrar a vontade de fazer valer a misericórdia sobre a mesquinhez, a beleza sobre o nada”, acrescentou.

O Cardeal Peter Turkson, Prefeito do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, afirma que “não devemos falar de resolver a corrupção em teoria, mas de combater a corrupção em cada um dos setores. Os pobres pagam a festa dos corruptos”.

“Não surpreende que o Papa tenha incluído o tema do combate à corrupção entre as intenções de oração deste ano; é algo que o preocupa de maneira significativa e ao qual ele se referiu em muitas oportunidades”, comentou o Pe. Frédéric Fornos, SJ, diretor internacional da Rede Mundial de Oração do Papa. “A corrupção afeta muitas nações do mundo e é um mal que destrói e mata”, acrescentou.

O Vídeo do Papa sobre a corrupção se soma a várias ações do Dicastério para tornar visível este flagelo, a partir do Debate Internacional Sobre a Corrupção (15 de junho de 2017), a publicação do livro Corrosione (“Corrosão”), do cardeal Turkson e de Vittorio Alberti, com prefácio do Papa, e o Debate Sobre a Corrupção que se realizará em Nápoles a 3 de fevereiro, onde se projetará o vídeo, entre outras iniciativas.