Filhos da Luz – 4º Domingo da Quaresma

Naquele tempo, Jesus encontrou no seu caminho um cego de nascença. Os discípulos perguntaram-Lhe: «Mestre, quem é que pecou para ele nascer cego? Ele ou os seus pais?». Jesus respondeu-lhes:

cego2Filhos da Luz

PALAVRA – Evangelho segundo S. João 9,1-41.

Naquele tempo, Jesus encontrou no seu caminho um cego de nascença. Os discípulos perguntaram-Lhe: «Mestre, quem é que pecou para ele nascer cego? Ele ou os seus pais?». Jesus respondeu-lhes: «Isso não tem nada que ver com os pecados dele ou dos pais; mas aconteceu assim para se manifestarem nele as obras de Deus. É preciso trabalhar, enquanto é dia, nas obras d’Aquele que Me enviou. Vai chegar a noite, em que ninguém pode trabalhar. Enquanto Eu estou no mundo, sou a luz do mundo». Dito isto, cuspiu em terra, fez com a saliva um pouco de lodo e ungiu os olhos do cego.
Depois disse-lhe: «Vai lavar-te à piscina de Siloé»; Siloé quer dizer «Enviado». Ele foi, lavou-se e ficou a ver. Entretanto, perguntavam os vizinhos e os que antes o viam a mendigar: «Não é este o que costumava estar sentado a pedir esmola?». Uns diziam: «É ele». Outros afirmavam: «Não é. É parecido com ele». Mas ele próprio dizia: «Sou eu». Perguntaram-lhe então: «Como foi que se abriram os teus olhos?». Ele respondeu: «Esse homem, que se chama Jesus, fez um pouco de lodo, ungiu-me os olhos e disse-me: ‘Vai lavar-te à piscina de Siloé’. Eu fui, lavei-me e comecei a ver»… Perguntaram-lhe então: «Que te fez Ele? Como te abriu os olhos?». O homem replicou: «Já vos disse e não destes ouvidos…. E expulsaram-no. Jesus soube que o tinham expulsado e, encontrando-o, disse-lhe: «Tu acreditas no Filho do homem?». Ele respondeu-Lhe: «Quem é, Senhor, para que eu acredite n’Ele?». Disse-lhe Jesus: «Já O viste: é quem está a falar contigo». O homem prostrou-se diante de Jesus e exclamou: «Eu creio, Senhor……

MENSAGEM – A CATEQUESE BATISMAL da Quaresma. Vimos o símbolo da ÁGUA, com o episódio da Samaritana. Prossegue o tema da LUZ, com a cura do cego. E veremos o tema da VIDA, com a ressurreição de Lázaro… No Evangelho, Jesus UNGE um cego com “Barro”, revelando-se como a “Luz do Mundo”, que veio libertar os homens das trevas.(Jo 9,1-41) João costuma tomar um fato da vida de Jesus como ponto de partida para desenvolver um tema básico da mensagem cristã. A cura do cego descreve o processo de fé de um homem, que vai passando das trevas da cegueira, para a luz da visão, e desta para a Luz da fé em Cristo. Esse texto é uma Catequese sobre a fé, num contexto batismal. O “Cego” é símbolo de todos os homens que renascem pela fé, acolhendo a Jesus (no Batismo) e deixando-se conduzir pela sua palavra. Tudo começa com uma PERGUNTA dos discípulos a Jesus: “Por que esse homem nasceu cego?” Seria castigo de Deus? Quem pecou? Jesus RESPONDE: “Nem ele, nem seus Pais pecaram…” A cura não é imediata: requer a cooperação do enfermo. A disponibilidade do cego sublinha a sua adesão à proposta de Jesus. O banho na piscina… lembra também a água do BATISMO para quem quiser sair das trevas para viver na luz, como Filhos de Deus… o Evangelho coloca em cena vários PERSONAGENS: Os VIZINHOS percebem o dom da vida que vem de Jesus, mas não dão o passo definitivo para ter acesso à Luz. Representam os que percebem a proposta libertadora de Jesus, mas não estão dispostos a sair da sua vidinha, para ir ao encontro da “Luz”. Os FARISEUS conhecem a “luz”, mas se recusam em aceitá-la. Acusam-no de transgredir a lei do sábado e expulsam o cego da sinagoga. Representam aqueles que conhecem a novidade de Jesus, mas não estão dispostos a acolhê-lo e até hostilizam os seus seguidores. Os PAIS constatam o fato, mas evitam comprometer-se… É a atitude de MEDO dos que não tem coragem de passar das trevas para a Luz. Preferem a segurança da ordem estabelecida, do que correr riscos… O CEGO é questionado pelas AUTORIDADES sobre a origem de Jesus. E ele, como “pessoa iluminada”, mostra-se: Livre (diz o que pensa…); corajoso (não se intimida); sincero (não renuncia à verdade); suporta a violência (é expulso da sinagoga). JESUS reaparece no fim: vai ao seu encontro, inicia um DIÁLOGO, que culmina com um belo ato de fé do cego: “Eu creio, Senhor”. A Transformação do cego é progressiva: Antes de se encontrar com Jesus, é um homem prisioneiro das “trevas”, dependente e limitado. “Não sabe quem o curou”… Depois, a “luz” vai brilhando aos poucos na sua vida. Forçado pelos dirigentes a renegar a “luz” e a liberdade recebida, recusa-se a regressar à escravidão… Finalmente, encontrando-se com Jesus, que lhe pergunta: “Acreditas no Filho do Homem”, manifesta sua adesão total: “Creio, Senhor”. Prostra-se e o adora.  O Caminho de fé do cego é um itinerário para todo cristão: O Encontro com Jesus… a Adesão à “Luz” e um progressivo amadurecimento no Conhecimento de Cristo. Esse caminho desemboca na adesão total a Jesus, ao ser lavado pelas águas batismais. No Batismo, os nossos olhos se abriram a Cristo, se dissiparam as trevas e fomos ungidos pelo Espírito para servir a Deus e aos irmãos. Quanto mais buscamos Jesus como “Luz”, mais nossa vida terá sentido. Como o cego, renovemos a nossa fé, cantando:Deixa a luz do céu entrar! Pe Anônio Geraldo Dalla Costa26.03.2017