Entre Irmãos Junho

O Boletim Entre Irmãos do mês de junho já está on line – clic no link e confira

A Palavra de Deus e o Bispo

O Bispo é guia e mestre, mas também discípulo. Deve redescobrir continuamente que Deus nos fala. Na Ordenação, a Bíblia foi colocada na cabeça, para indicar o conhecimento profundo que o Bispo deve ter da Palavra de Deus. Ele, com todo o Colégio episcopal, é autêntico interprete da Palavra e com este serviço ajuda a vida espiritual do povo. Página 02

Verdade, anúncio e autenticidade de vida, na era digital

Como qualquer outro fruto do engenho humano, as novas tecnologias da comunicação pedem para ser postas ao serviço do bem integral da pessoa e da humanidade inteira. Usadas sabiamente, podem contribuir para satisfazer o desejo de sentido, verdade e unidade que permanece a aspiração mais profunda do ser humano… O compromisso por um testemunho do Evangelho na era digital exige que todos estejam particularmente atentos aos aspectos desta mensagem que possam desafiar algumas das lógicas típicas da web. Antes de tudo, devemos estar cientes de que a verdade que procuramos partilhar não extrai o seu valor da sua “popularidade” ou da quantidade de atenção que lhe é dada. Devemos esforçar-nos mais em dá-la conhecer na sua integridade do que em torná-la aceitável, talvez “mitigando-a”. Deve tornar-se alimento cotidiano e não atração de um momento. A verdade do Evangelho não é algo que possa ser objeto de consumo ou de fruição superficial, mas dom que requer uma resposta livre. Confira na Página 03 – Mensagem do Papa Bento XVI para o 45º Dia Mundial das Comunicações Sociais – 05 de junho de 2011

União de pessoas do mesmo sexo

Nota da CNBB a respeito da decisão do Tribunal Federal quanto a união entre pessoas do mesmo sexo

Um tema de grande relevância na sociedade e na Igreja nesses dias é a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a união de pessoas do mesmo sexo. A nossa fé dá um juízo também sobre este fato…. O que nos interessa neste momento é o juízo dado sobre essa decisão do Supremo. A motivação usada pelos juízes nesse caso – daqueles que sustentam a união estável e a reconheceram equiparando- a uma entidade familiar – que nós vivemos em uma sociedade fragmentada. Existem tantos fragmentos, e um desses fragmentos é a Igreja Católica. O Supremo Tribunal decide quando um fragmento quer prevalecer sobre o outro e intervém para colocar ordem. O Supremo Tribunal tem a presunção de representar o uso da razão quando os direitos de um fragmento são invadidos pelo outro ou não são respeitados. Onze pessoas representam a razão num clima de fragmentação total, de confusão do eu; e aí que domina o poder. Não pode ser um grupo de pessoas que decide o que é justo e o que não é justo quando se trata de definir o que é segundo a razão. E se não é um grupo de pessoas quem é? É somente algo que está na natureza humana, que a razão reconhece, e que se chama lei natural. Existe uma lei natural que junta todos os fragmentos, todas as pessoas. Dom Filippo Santoro – Bispo de Petrópolis – RJ. Na 49ª Assembleia Geral da CNBB – aconteceu a eleição da nova presidência e das Comissões Episcopais de Pastoral e os bispos fizeram uma nota a respeito da decisão do Tribuna Federal quanto a união de pessoas do mesmo sexo e também uma Moção de apoio à Frente Parlamentar Mista em Defesa da Vida-contra o Aborto Confira nas páginas 04 e 05

Encontro Diocesano de Fé e Política

A Diocese de Coxim, em parceria com o Conselho Diocesano de Leigos Cristãos e com apoio da Prefeitura e Câmara Municipal do município de Rio Negro, com a participação de prefeitos e vereadores e integrantes da sociedade civil organizada da região norte do estado de Mato Grosso do Sul, realizou, dia 21/05 o Décimo Encontro Diocesano de Fé e Política, com o tema “Fraternidade e Vida no Planeta”, da Campanha da Fraternidade-2011. Página 06

Transtorno Afetivo Bipolar

É importante que tanto a pessoa quanto a família sejam orientadas para saber o que fazer com os sentimentos de angustia e depressão que são gerados por este transtorno. A ocorrência pode acontecer em todas as idades e sexo, porém, há uma prevalência entre as idades de 20 a 40 anos. Este transtorno ocasiona muito sofrimento para a pessoa, seus familiares e o meio onde vive, tornando os relacio-namentos sociais difíceis, não somente pelos sintomas, mas principalmente pela falta de compreensão e apoio destes, que podem entender como se fosse frescura ou fraqueza de caráter, humilhando a pessoa para que ela reaja. Página 07